Produção da Netflix „Mank“ lidera indicações ao Oscar

Drama biográfico é indicado para dez categorias, entre elas melhor filme, direção e ator. Brasil fica de fora das indicações. Cerimônia ocorre em abril devido à pandemia.

Em um ano marcado pela pandemia de covid-19, que atingiu a indústria cinematográfica em cheio, a produção da Netflix Mank lidera a lista dos indicados para o Oscar, divulgada nesta segunda-feira (15/03). O drama biográfico, que retrata a Hollywood dos anos 1930, recebeu dez indicações, incluindo a de melhor filme.

David Fincher, que dirigiu Mank, foi indicado para melhor direção. O filme também concorre à estatueta nas categorias melhor ator, com Gary Oldman, melhor atriz coadjuvante, com Amanda Seyfried, melhor figurino, trilha sonora, som, maquiagem e cabelo, fotografia e design de produção.

Depois de Mank, outros seis filmes conquistaram seis indicações: Nomadland – um dos favoritos deste ano –, Meu PaiJudas e o Messias NegroMinari, O Som do Silêncio e Os 7 de Chicago – outra produção da Netflix.

Pela primeira vez, duas mulheres foram indicadas ao Oscar na categoria Melhor Direção. São elas: Chloé Zhao, por Nomadland, e Emerald Fennell, por Bela Vingança.

Neste ano, o Brasil ficou de fora das indicações. Há 22 anos o país não consegue chegar a uma final do Oscar de melhor filme estrangeiro, categoria que foi rebatizada como prêmio de filme internacional a partir de 2020. O último longa brasileiro a disputar a estatueta nessa categoria foi Central do Brasil, em 1999.

Em 2019, Democracia em vertigem, da cineasta brasileira Petra Costa, foi um dos indicados ao prêmio de melhor documentário, sendo derrotado pelo americano American factory. Antes disso, Lixo extraordinário e O sal da terra, dois documentários com coprodução brasileira, haviam sido indicados ao Oscar em 2011 e 2015.

Devido à pandemia, a cerimônia do Oscar foi adiada para 25 de abril. Confira as indicações nas principais categorias:

Melhor filme

  • Nomadland
  • Os 7 de Chicago
  • Mank
  • Bela Vingança
  • Minari
  • Meu Pai
  • O Som do Silêncio
  • Judas e o Messias Negro

Melhor ator

  • Chadwick Boseman – A Voz Suprema do Blues
  • Anthony Hopkins – Meu Pai
  • Riz Ahmed – O Som do Silêncio
  • Gary Oldman – Mank
  • Steve Yeun – Minari

Melhor atriz

  • Carey Mulligan – Bela Vingança
  • Frances McDormand – Nomadland
  • Vanessa Kirby – Pieces of a woman
  • Viola Davis – A Voz Suprema do Blues
  • Andra Day – Estados Unidos vs. Billie Holiday

Melhor direção

  • Chloé Zhao – Nomadland
  • David Fincher – Mank
  • Emerald Fennell – Bela Vingança
  • Lee Isaac Chung – Minari
  • Thomas Vinterberg – Druk: Mais uma rodada

Melhor ator coadjuvante

  • Daniel Kaluuya – Judas e o Messias Negro
  • Sacha Baron Cohen – Os 7 de Chicago
  • Leslie Odom Jr. – Uma Noite em Miami
  • Paul Raci – O Som do Silêncio
  • Lakeith Stanfield – Judas e o Messias Negro

Melhor atriz coadjuvante

  • Olivia Colman – Meu Pai
  • Amanda Seyfried – Mank
  • Glenn Close – Era uma vez um sonho
  • Yuh-Jung Youn – Minari
  • Maria Bakalova – Borat 2

Melhor roteiro original

  • Judas e o Messias Negro
  • Minari
  • Bela Vingança
  • O Som do Silêncio
  • Os 7 de Chicago

Melhor roteiro adaptado

  • Borat 2
  • Meu Pai
  • Nomadland
  • Uma Noite em Miami
  • O Tigre Branco

Melhor filme internacional

  • Another round (Dinamarca)
  • Better days (Hong Kong)
  • Collective (Romênia)
  • The man who sold his skin (Tunísia)
  • Quo vadis, Aida? (Bósnia e Herzegovina)

Melhor animação

  • Dois irmãos: Uma jornada fantástica
  • A caminho da lua
  • Shaun, o Carneiro: O Filme – A fazenda contra-ataca
  • Soul
  • Wolfwalkers

Melhor documentário

  • Collective
  • Crip camp
  • The mole agent
  • My octopus teacher
  • Time

Leave a Reply

%d bloggers like this: